Principais Resultados

Principais resultados do Programa Vencer Juntos

Segurança alimentar. O resultado mais imediato dos empreendimentos produtivos apoiados pelo Programa Vencer Juntos é uma melhoria na alimentação das famílias participantes. A maioria dos empreendimentos apoiados são de criação de pequenos animais e pequenas plantações em comunidades afastadas do mercado. Mesmo que o grupo não consiga vender para ter um retorno financeiro com sua produção, as famílias passam a ter acesso aos alimentos produzidos: carne de galinha, ovos, leite, hortaliças, farinha etc. A alimentação melhora e as famílias deixam de gastar com alimentos. O dinheiro economizado na compra de alimentos fica disponível para a satisfação de outras necessidades.

Complemento da renda familiar e criação de um patrimônio. Os grupos produtivos geram uma renda complementar para a família, em alguns casos a atividade torna-se a fonte principal de renda da mulher. Os empreendimentos bem sucedidos geram um aumento entre 30% e 200% na renda familiar depois de 12 meses. Projetos de criação de cabras, ovelhas, suínos e vacas geram um patrimônio para a família quando aumenta o rebanho. A venda dos animais ajuda com necessidades emergenciais ou pontuais.

Educação/formação das famílias, desenvolvimento da cidadania. A participação no Programa alavanca uma série de processos educacionais: A maioria das famílias beneficiadas, mesmo quando elegíveis para outros programas do governo, como o Pronaf, não sabem como procurar os serviços públicos. Elas têm uma autoestima muito baixa, não se sentem capazes. A população pobre do interior foi condicionada pela cultura do assistencialismo e coronelismo e acabam esperando uma ajuda assistencial, como a cesta básica, o leite, a casa, o pequeno emprego na prefeitura, etc. O processo de animação, mobilização e capacitação desencadeado com a participação de um pequeno empreendimento de geração de renda leva as famílias, principalmente as mulheres, a re-descobrirem seus dons e suas próprias capacidades, levantando a autoestima dessas pessoas.

O desenvolvimento das pessoas pode ser percebido claramente, de um ano para outro, no comportamento delas durante o seminário anual dos empreendimentos: com o decorrer do tempo, elas falam mais durante os encontros, se vestem melhor, erguem a cabeça e se sentem parte do processo. Mesmo quando um empreendimento fracassa, as participantes ficam mais preparadas para procurar emprego ou outras fontes de renda. Os participantes do Projeto tornam-se cidadãos mais ativos que votam de forma mais consciente e participam de organizações do bairro, associações de moradores.

Educação para o crédito. A disciplina e organização necessárias para cumprir o compromisso da partilha para o Fundo Rotativo Solidário faz com que o grupo leve com seriedade a atividade, zelando pelo cuidado dos materiais adquiridos e pela continuidade dos trabalhos, ensinando ao grupo práticas de planejamento e gestão de recursos. Dessa forma, o empreendimento produtivo assumido com apoio do Projeto Vencer Juntos prepara estes grupos para acessar outras fontes de financiamento tais como o Pronaf ou microcrédito. Uma pesquisa realizada entre os empreendimentos apoiados pelo Vencer Juntos em 2015 revelou que em mais de 60% dos grupos, há integrantes que acessaram o Pronaf ou microcrédito.

Organização comunitária, formação de lideranças, de capital social. A participação num empreendimento de geração de renda e na organização de redes entre empreendimentos forma lideranças comunitárias que começam a se organizar e buscar outros serviços para suas comunidades. A associação regional dos empreendimentos criada para auto-gerir o Fundo Rotativo Solidário e dar continuidade ao Projeto torna-se um novo ator no desenvolvimento local. As oito associações criadas com apoio do Vencer Juntos foram protagonistas, entre 2014 e 2016, num processo de elaborar diagnósticos e planos territoriais de desenvolvimento da economia solidária nos seus territórios.

Otimização e integração de programas sociais, resultando em desenvolvimento local emancipatório. Os resultados mencionados acima fazem com que as pessoas beneficiadas inicialmente com um projeto de geração de renda/fundo solidário começam a se organizar para reivindicar outros programas de apoio.

A ARESOL – Associação Regional dos Grupos Solidários de Geração de Renda, criada com apoio do Vencer Juntos no território do Sisal e Piemonte Norte do Itapicuru (Monte Santo e Senhor do Bonfim) na Bahia é um bom exemplo desse processo. Aproveitando a abundância de frutas nativas na região, principalmente umbu e maracujá do mato, a ARESOL começou apoiar grupos para produzir polpa congelada e outros derivados de frutas. Percebendo os problemas de comercialização, a ARESOL começou fechar os primeiros contratos com a CONAB para fornecer polpa para o PAA. Entre 2007 e 2012, a Associação conseguiu inserir cada vez mais grupos produtivos nas vendas institucionais,  sendo que partir de 2010, começaram acessar também o PNAE.

Reconhecendo que não podia depender excessivamente dos programas de compra governamental, a ARESOL conquistou a implantação de pontos de comercialização e feiras solidárias com criação da marca própria Monte Sabores. A visibilidade da Associação no estado cresceu cada vez mais e levou à conquista de novos investimentos. Em 2012, foi selecionada numa chamada pública para receber R$170.000 para equipar um entreposto de beneficiamento de frutas. As comunidades construíram o prédio num grande mutirão. Em 2014 foi criada a cooperativa Coopersabor para atender as exigências para uma comercialização em escala maior.

Com base na grande trajetória de apoio a grupos produtivos solidários, a ARESOL foi selecionada pelo Governo da Bahia, em 2015, para instalar um Centro Público de Apoio à Economia Solidária – CESOL, recebendo um investimento de cerca de R$ 3 milhões. Hoje a ARESOL atende uma média de 70 grupos produtivos solidários envolvendo cerca de 800 famílias em 12 municípios. O faturamento anual da Cooperativa já passa de R$ 1milhão por ano.

O Programa Vencer Juntos teve uma contribuição importante no desenvolvimento da ARESOL, porque disponibilizou a equipe técnica (entre dois e quatro agentes) que elaborou e coordena a gestão dos vários projetos.

O exemplo ilustra como o Programa Vencer Juntos estimula um processo de desenvolvimento local emancipatório que otimiza e integra vários programas sociais do Governo. O empreendimento de geração de renda com fundo rotativo solidário foi a semente que fez nascer este processo.

O Projeto Vencer Juntos trabalha para sistematizar e aperfeiçoar a tecnologia social do Fundo Rotativo Solidário e está desenvolvendo uma metodologia de implantação que possa ser replicada em grande escala em todo país.